Resfriado: sintomas, causas e como tratar essa infecção viral muito comum

Notar a congestão nasal e dar um espirro são motivos suficientes para pensar: será que esses são sintomas de resfriado? Apesar de ser uma doença extremamente comum, a verdade é que os pacientes em geral têm poucos conhecimentos factuais sobre essa infecção.1 Informações como a diferença entre gripe e resfriado e o melhor remédio para resfriado são dúvidas que costumam ser frequentes. Por isso, reunimos todas essas questões aqui para que você possa esclarecer todas as suas dúvidas.

O que causa o resfriado?

A ideia de que é possível ficar resfriado depois de tomar um banho de chuva , de usar roupas molhadas ou de encarar baixas temperaturas não passa de um mito. O resfriado é uma infecção viral que afeta o trato respiratório superior e que é causada pelo rinovírus, microrganismo que ataca a região do nariz, seios da face, faringe e laringe2.

Sua transmissão acontece quando há um contato direto ou indireto com as secreções de uma pessoa infectada ou com os aerossóis de pequenas partículas do vírus2. O rinovírus circula durante o ano todo, mas a taxa de contágio é maior durante o inverno1. Alguns fatores aumentam o risco de contrair um resfriado, como estresse e sono insuficiente em adultos, enquanto nas crianças, a ida à creche e à escola aumenta a circulação do vírus2.

Os principais sintomas de resfriado

Por se tratar de uma infecção nas vias aéreas superiores, os sintomas de resfriado são sentidos principalmente na região do nariz e da garganta. Coriza, congestão nasal, espirros, tosse, olhos lacrimejantes e febre baixa ou mal-estar são os principais sintomas de resfriado1. A febre é mais comum no resfriado em bebês, crianças e adolescentes. Ao passar dos anos, a alta da temperatura é substituída por apenas um mal-estar generalizado e passa a ser um sintoma incomum em adultos1. Em geral, o resfriado costuma ser uma doença leve, sem complicações. Tanto é que, ao contrário de outros vírus respiratórios - como o Influenza, da gripe -, o rinovírus não destrói a barreira epitelial das vias aéreas1.

Quanto tempo dura um resfriado?

O período de incubação do rinovírus varia, mas tem uma média de pouco menos de dois dias. Ou seja, pode demorar até dois dias para que os sintomas de resfriado passem a se manifestar após o contágio. Os sintomas de resfriado relacionados à infecção da mucosa, como a congestão nasal, tosse e espirros, atingem o pico de incômodo entre um e três dias e costumam durar de sete a dez dias, mas ocasionalmente podem persistir por até três semanas2.

Resfriados são mais comuns em crianças?

A idade é uma variável significativa no resfriado, já que a incidência da infecção diminui ao decorrer dos anos: o problema é muito comum na infância e vai se tornando cada vez menos recorrente com o passar dos anos. Anualmente, crianças de até dois anos se infectam cerca de seis vezes, enquanto em adultos esse número diminui para duas a três vezes e, em idosos, o número cai para apenas uma infecção ao ano2.

A indicação de remédio para resfriado

Assim como ainda não há uma vacina para a prevenção, também não existe um antiviral eficaz para a cura do resfriado. Com isso, o tratamento deve focar no alívio do desconforto causado pelos sintomas de resfriado e não em uma cura. Para adultos e crianças a partir de seis anos, o remédio para resfriado indicado é o anti-histamínico. Um antitérmico pode ser usado em caso de febre alta. Descongestionantes, antitussígenos e expectorantes também são comumente usados para o alívio da congestão nasal e da tosse3.

Apesar de ser comum, é importante destacar que a prescrição de antibióticos como remédio de resfriado é considerada altamente imprópria pela literatura médica. Os antibióticos não são efetivos no combate às infecções virais porque atacam apenas as bactérias. Além de não serem úteis na melhora do resfriado, esses medicamentos ainda podem oferecer efeitos gastrointestinais adversos e um aumento da resistência das bactérias aos antibióticos3.

Especificamente para crianças pequenas, o corticosteroide, o anti-histamínico e a codeína também são contraindicados como remédio para resfriado1. Vale lembrar que qualquer medicação deve ser usada com auxílio médico.

O resfriado pode levar a uma doença mais grave?

Na maioria das vezes, o resfriado é uma doença autolimitada que se manifesta de forma branda, mas ainda assim existem chances de surgirem complicações mais sérias. Pacientes que apresentam um quadro grave de internação tanto por resfriado quanto por gripe podem desenvolver uma infecção bacteriana, que é a complicação secundária mais recorrente entre as infecções virais respiratórias. Nesses casos, os tipos comuns de infecções bacterianas são a pneumonia e a sinusite bacteriana.3 Quem corre maiores riscos são os bebês, os idosos, os imunocomprometidos e os pacientes asmáticos1.

Outra possibilidade é o desenvolvimento de uma tosse subaguda pós-viral como uma resposta inflamatória prolongada e até mesmo uma tosse crônica como resultado de gotejamento pós-natal ou refluxo gastroesofágico1. A sensação de nariz entupido pode parecer inofensiva, mas também deve ser devidamente tratada para evitar futuros problemas. Quando persistente, a congestão nasal pode causar sinusite e apneia obstrutiva do sono, que tem como consequência a fadiga diurna e a queda de concentração e de produtividade. A apneia do sono prolongada pode resultar no surgimento de sintomas sistêmicos e até de doenças cardiovasculares. Esses motivos reforçam a necessidade de procurar um especialista para o receber o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado4

Como se prevenir de pegar um resfriado?

A alta taxa de circulação do rinovírus faz com que a prevenção do resfriado não seja uma tarefa muito simples, mas alguns bons hábitos praticados no dia a dia são sempre bem-vindos e podem ajudar nessa missão. A higienização das mãos é um passo essencial. O recomendado é uma boa lavagem com água e sabão sempre que entrar em contato com superfícies compartilhadas ou usar o álcool em gel quando estiver na rua5.

Outro ponto necessário é garantir o distanciamento de pessoas que estejam resfriadas, principalmente em locais de muito contato, como no trabalho e escola. O paciente infectado deve evitar ter proximidade com pessoas vulneráveis, como bebês com menos de três meses e imunodeprimidos5.

Qual é a maior diferença entre gripe e resfriado?

A dúvida entre a diferença entre gripe e resfriado é mais que válida, afinal, são doenças que compartilham de várias características facilmente confundidas. Ambas são infecções virais no trato respiratório superior. Mas, em vez do rinovírus, a gripe é causada pelo vírus Influenza. Alguns dos principais sintomas de resfriado se repetem, mas, na gripe, há maior chance da febre ser alta em todas as idades e de haver dor de cabeça, dor muscular, calafrios e diarreia.1 6

Além das divergências pontuais, a maior diferença entre gripe e resfriado está na gravidade da doença. Basicamente, uma pessoa gripada fica mais doente do que uma pessoa resfriada. Enquanto o resfriado dispensa maiores preocupações, a gripe é uma grande questão de saúde pública no mundo todo1 6. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que o vírus Influenza infecta cerca de um bilhão de pessoas e mata até 500 mil pessoas ao redor mundo todos os anos. Por isso, a vacina contra a gripe é de extrema importância e é a melhor forma de prevenção contra a doença6.

Outra significativa diferença entre gripe e resfriado é a relação das infecções com as faixas etárias. Quando o assunto é idade, o rinovírus e o Influenza se comportam de forma inversamente proporcional. Como foi explicado anteriormente, o resfriado afeta principalmente as crianças e se torna menos intenso e frequente com o passar dos anos. Já a gripe se agrava e tem alta taxa de mortalidade entre pessoas idosas, mas também deve gerar alerta em bebês com menos de seis meses de vida.2 6

MAT-BR-2101236