Mito ou verdade: gripe mal curada pode virar pneumonia?

A gripe (muitas vezes confundida com resfriado) é uma infecção viral aguda que atinge as vias aéreas superiores e inferiores. É uma doença relativamente comum e geralmente autolimitada, que se transmite facilmente de indivíduo para indivíduo, sendo que o vírus Influenza A geralmente é o que provoca os sintomas mais intensos e é a principal causa de infecções epidêmicas sazonais.1

Muita gente fala que a gripe, se não tratada corretamente, pode evoluir para uma pneumonia. Será que isso é verdade? Para descobrir, conversamos com o infectologista Bruno Scarpellini (CRM 52-716073/RJ), que explica a ligação entre essas duas doenças.

É importante não ignorar a vacinação contra a gripe

Causada pelo vírus Influenza, a gripe não tem cura, mas sim tratamento e prevenção. “Primeiro é necessário saber qual tipo de vírus está causando a síndrome gripal, se a pessoa foi ou não vacinada para influenza sazonal e com qual vacina”, explica Dr. Bruno. “Uma vez excluídas outras doenças virais e confirmada a presença do vírus da Influenza, devemos iniciar um antiviral para a gripe nas primeiras 72 horas de sintomas caso você não seja de grupos de risco de maior gravidade. Caso você seja, esse tratamento deve ser iniciado a qualquer momento, independentemente da janela de tempo de sintomas. Além disso, pode-se se associar tratamentos sintomáticos com analgésicos, limpeza nasal com soro fisiológico, etc.”.

Qualquer infecção respiratória pode gerar uma pneumonia

Ao contrário do que muita gente pensa, a pneumonia não é apenas causada por bactérias, mas também pode ser causada por outros agentes, inclusive o próprio vírus Influenza2. “Na verdade, toda infecção de vias áreas superiores (gripe ou resfriado) podem complicar com uma doença bacteriana de vias aéreas superiores (ex: sinusite, otite) ou de vias aéreas inferiores (ex: pneumonia). Esta última pode ser bacteriana ou viral. Cabe ressaltar que as duas podem coexistir”, explica o médico. Por isso, são necessários exames em secreções (cultura e antibiograma) ou na urina2 para identificar o agente que está provocando a pneumonia e, desta forma, tratá-la corretamente.

Como diferenciar as duas doenças?

É importante não se desesperar e nem confundir os sintomas das duas doenças. A gripe se caracteriza pelo surgimento de uma febre súbita, dor de cabeça e no corpo, mal-estar, tosse seca, dor de garganta e nariz entupido, podendo também apresentar náusea, vômitos e diarreia. No entanto, os sintomas costumam durar pouco tempo, caso o paciente não faça parte do grupo de risco (idosos, pessoas com baixa imunidade, bebês e crianças pequenas ou portadores de doenças respiratórias)1.

Já a pneumonia tem como principal sintoma a dificuldade e dor ao respirar, já que os alvéolos nos pulmões ficam cheios de pus e secreções inflamatórias que limitam as trocas gasosas3. De todas as formas, o infectologista Bruno Scapellini alerta para a gravidade da pneumonia, seja ela viral ou bacteriana. “Além de uma possível infecção generalizada, a pneumonia pode também levar a danos reversíveis ou irreversíveis ao pulmão. Isso pode ser causado pela inflamação e fibrose consequente a uma síndrome respiratória aguda grave (SRAG)”, finaliza Bruno.

MAT-BR-2001729