O que acontece com o corpo quando a temperatura aumenta?

A febre é um sintoma conhecido de muita gente. Normalmente, ela é um alerta de que alguma coisa não vai muito bem no organismo e caracteriza-se pelo aumento da temperatura corporal, além de abatimento, sensação de frio, fraqueza e algumas vezes dor no corpo1. Ligada à muitas doenças, principalmente infecciosas, a febre é considerada preocupante por muitos. Mas o que acontece, de fato, quando a temperatura do corpo aumenta?

Durante a febre, o ponto de equilíbrio térmico do corpo é alterado

A febre é resultado de uma resposta dos circuitos de termorregulação do nosso corpo. E ao contrário de um aumento de temperatura corporal causado, por exemplo, pela prática de atividades físicas, na febre há uma alteração do ponto de equilíbrio térmico, ou seja, em vez dos sistemas de termorregulação atuarem para manter o corpo a cerca de 36,5ºC, eles atuam para mantê-lo mais quente do que isso1.

Para manter a temperatura, o corpo, entre outros processos, contrai os vasos sanguíneos da pele, reduzindo a perda de calor para o ambiente o que pode gerar tremores na musculatura. Esse processo causa até mesmo mudanças comportamentais, como a vontade de ficar em posição fetal e se agasalhar, todas ações que contribuem para o aumento da temperatura1. Em contrapartida, para evitar que o calor se acumule de forma descontrolada, há uma resposta contrária do organismo visando a redução da temperatura, como, por exemplo, o aumento da sudorese1.

Sintomas paralelos, como mal estar, perda de apetite e dor de cabeça, também associados à febre, geralmente são relacionados ou a subprodutos do metabolismo de microrganismos invasores ou à própria ação dos pirógenos, as substâncias responsáveis por mudar o ponto de equilíbrio térmico em uma região do cérebro chamada de hipotálamo, que causam uma série de respostas sistêmicas no organismo1.

A febre é um processo benéfico

Apesar de ser considerada uma situação preocupante, a febre é um processo em geral benéfico para o organismo. A maioria das bactérias e vírus sobrevivem bem até 37º, com grande capacidade de se multiplicarem. Quando a temperatura do corpo sobe para além disso, os microrganismos invasores encontram maior dificuldade de sobreviver e se reproduzir1. Ou seja: o próprio organismo, pela ação do hipotálamo1 2, aumenta a temperatura para se defender de possíveis infecções, sempre em conjunto com outras medidas do sistema imune.

A importância de só tomar antitérmicos quando necessário

Como a febre é um mecanismo de defesa do corpo e o aumento da temperatura ajuda no combate a vírus e bactérias, o ideal é deixá-la fazer o seu trabalho. Isso mesmo! A febre é apenas um sintoma, não é uma doença e só precisa de controle nos casos em que compromete o estado geral do paciente. Quando isso acontece, os antitérmicos podem ajudar3. Também é aconselhável nesses casos procurar a avaliação de um médico.

MAT-BR-2001729