Febre em bebê: este sintoma é mais perigoso em crianças muito pequenas?

A febre é um sintoma comum em diversas doenças e é, geralmente, um sinal de alerta de que algo no corpo não anda bem. Especificamente na infância, ela causa muita preocupação para pais e cuidadores, principalmente quando se manifesta em bebês ou em crianças muito pequenas1 2. Mas será que realmente a febre é mais perigosa nos pequeninos?

Para falar mais sobre este tema, conversamos com a pediatra Caroline Oliveira, que ajuda a entender o que de especial a febre em bebês pode causar.

Sistema imunológico dos bebês é mais frágil do que de crianças maiores

Segundo a pediatra, o fator que pode tornar a febre mais perigosa nos bebês está relacionado ao seu sistema de defesa (sistema imunológico). "A febre em crianças menores, principalmente em bebês, é mais preocupante devido ao sistema imunológico ainda não estar totalmente desenvolvido. Além disso, elas podem ter maior risco de evoluir com convulsão febril", diz Caroline. O medo da convulsão febril, muito comum nos pais, também deve ser interpretado com calma, já que convulsões febris são, em geral, benignas e não causam danos cerebrais1.

Em caso de febre, bebês devem ser avaliados pelo pediatra

Como a febre em crianças pequenas é geralmente resultado de alguma infecção e o sistema imunológico delas ainda não está plenamente desenvolvido, é importante que os pais sejam proativos e procurem um médico, especialmente quando o sintoma se manifesta em bebês2. "De um modo geral, a febre é causada por algum agente patológico, como vírus e bactérias. Crianças menores de dois meses devem ser imediatamente avaliadas pelo pediatra quando apresentarem febre”, recomenda a médica.

Outros sintomas não devem ser ignorados

A febre dificilmente se apresenta sozinha, ou seja, outros sintomas podem se manifestar ao mesmo tempo, indicando diferentes doenças. “Doenças respiratórias infecciosas, gastroenterites, infecção urinária e otites são algumas das muitas doenças que podem causar febre na criança”, explica Caroline. É importante enfatizar que, apesar de assustar, normalmente a febre nesses pacientes deve ser tratada com antitérmicos apenas quando a criança apresentar abatimento, para evitar uma sobrecarga de medicamentos3.

Independentemente da idade a febre deve ser um aviso

O acompanhamento médico dos bebês e crianças pequenas com febre deve ser feito de perto, especialmente na presença de outros sintomas. “Devemos sempre ficar atentos aos sinais de alerta como dificuldade respiratória, letargia, irritabilidade excessiva, pequenas manchas de coloração púrpura na pele, rigidez da nuca, confusão mental e convulsões”, finaliza a médica.

Médica entrevistada:

Dra. Caroline Oliveira é pediatra formada pela Unigranrio e atende no Rio de Janeiro. CRM - RJ: 52102395-0

MAT-BR-2000451