Febre alta: quando esse sintoma começa a prejudicar o organismo?

A febre é caracterizada como a elevação da temperatura normal do corpo humano para valores acima da média, ou seja, temperatura axilar acima de 37,2ºC.1 Nos casos de febre alta, há riscos para o organismo? Quando é possível perceber os malefícios da febre? Continue a leitura deste artigo para descobrir a resposta para essas questões e para saber como baixar a febre!

Quando a febre se torna um perigo?

A febre alta é aquela que, após a aferição com um termômetro, indica valores acima dos 39ºC. Nestes casos, ela é acompanhada de tremores de frio, sonolência e irritabilidade. No entanto, o sintoma deve se tornar motivo de maior preocupação quando chegar em 41,5ºC. Com este valor, há riscos maiores para convulsões e lesões cerebrais, principalmente em crianças.1

Um bebê de cinco semanas, por exemplo, com febre alta, considerável perda de apetite, que passa a maior parte do tempo dormindo e, quando acorda, se mostra fortemente irritado, deve ser considerado um caso infeccioso grave e que precisa de ajuda. Outro sinal de alerta é a duração da temperatura de febre por mais de três dias completos.1

Além disso, a febre alta aumenta o consumo de oxigênio pelo corpo e pode prejudicar o rendimento cardíaco. No entanto, esses problemas só costumam ser importantes em pessoas com problemas cardíacos, em casos de pneumonias graves e em crianças com a saúde muito debilitada.1

Por outro lado, vale lembrar que a febre também tem seu lado positivo, exercendo função importante na defesa do organismo: estudos comprovaram que a temperatura de febre é capaz de inibir a reprodução de microrganismos causadores de doenças, impedindo o agravamento de um quadro infeccioso.2

Como baixar a febre alta?

Ao detectar a febre alta, é importante procurar o auxílio médico para receber orientações sobre como baixar a febre. Antitérmicos e antipiréticos são recomendados para conter o estado febril, principalmente se o sintoma estiver acompanhado de respiração ofegante ou de sensação intensa de calor.3

Alguns meios físicos também podem ser úteis: técnicas de resfriamento rápido com o uso de esponjas e banho morno ajudam na regularização da temperatura. Além disso, o consumo de bebidas é recomendado para evitar a desidratação. Portanto, a ingestão de água, chás, sucos e água de coco ajudam a deixar o corpo mais saudável neste processo de recuperação.1

MAT-BR-2104025