Bebê gripado: é preciso levar no médico? Saiba o que fazer nessa situação!

Apesar de a gripe não causar complicações na maioria das pessoas saudáveis, não se pode esquecer que a infecção viral é uma grande questão de saúde pública por infectar, todos os anos, cerca de 1 bilhão de pessoas e matar até 500 mil ao redor do mundo1. Por isso, é compreensível que a gripe em bebê deixe os pais preocupados. Ao se deparar com o bebê gripado, o que fazer? Continue a leitura para saber mais!

Riscos da gripe em bebê com menos de seis meses

Um bebê gripado é mais preocupante do que um bebê resfriado. Aqueles com menos de seis meses de idade estão no grupo de risco da gripe, já que essa é a faixa etária com a maior taxa de mortalidade1. Na prática, isso significa que é preciso ficar atento e acompanhar o bebê gripado de perto.

A pediatra Fabiane Durão detalha quais são os sinais de alerta que os pais devem procurar antes de procurar um médico: "A gravidade acontece quando há falta de ar. Se a criança começa a ter dificuldade para respirar é sinal de que deve ser levada à emergência. Ela também deve ser avaliada pelo pediatra se a febre alta se mantiver acima de 38°C por mais de três dias".

Febre nem sempre é uma emergência

Nem toda gripe em bebê acompanhada de temperatura de febre é uma emergência clínica, mas isso não descarta uma avaliação médica. O consenso médico diz que o uso de antitérmicos deve ser reservado para febre alta, acima de 38,2ºC. Em caso de febre abaixo dos 38ºC, o recomendado é manter a criança em um ambiente bem ventilado, com roupas leves e ingerindo muito líquido2.

É mais importante observar a duração da febre, que não deve se manter por mais de 72 horas, e a aparência geral da criança do que apenas a temperatura isoladamente. A investigação imediata é indicada para recém-nascidos de até três meses2.

Resfriado é mais comum em crianças do que a gripe

No primeiro sinal de coriza e espirro durante o inverno, surge a dúvida: é gripe ou resfriado? É interessante saber que resfriados são muito mais frequentes do que a gripe em bebê. Crianças de até dois anos ficam resfriadas cerca de seis vezes ao ano, enquanto nos adultos esse número diminui para duas ou três vezes e, em idosos, cai para apenas uma vez ao ano3.

Para saber identificar a diferença entre resfriado e gripe em bebê, Dra. Fabiane explica: "Normalmente, a gripe deixa a criança mais prostrada, com febre, congestão nasal, coriza e tosse com secreção. Já o resfriado gera coriza, espirros, tosse seca e a criança costuma manter sua disposição".

MAT-BR-2100626