Baixar febre com álcool: descubra os riscos dessa técnica!

Valores altos mostrados no termômetro podem assustar, mas a verdade é que os cuidados que devem ser adotados durante um quadro febril devem focar na garantia do bem-estar, e não apenas em baixar febre. A febre é um sinal de alerta e não uma doença. É por isso que a literatura especializada defende que nem sempre é preciso receitar antitérmicos. Continue lendo para saber como baixar a febre e aliviar os sintomas com métodos não medicamentosos. Mas, vai uma dica: baixar febre com álcool não é uma das maneiras recomendadas.1 2 Para maiores informações e para a segurança da criança, o pediatra deve ser consultado.

Baixar febre com álcool não é recomendado e pode ser perigoso

O procedimento consiste em passar álcool na pele da pessoa febril com o objetivo de baixar febre. Muitas vezes, são feitos banhos com uma mistura de álcool com água. Esse é um método absolutamente contraindicado porque o álcool pode ser absorvido pela pele e causar toxicidade sistêmica. 1 2

Aproveitando a deixa, outra técnica que também é muito utilizada erroneamente é dar banho gelado para baixar febre. A água fria gera ainda mais desconforto ao causar calafrios e tremores, que além de serem desagradáveis, são formas que o corpo encontra de aumentar a temperatura corporal. Até mesmo os banhos com água morna, que podem baixar febre temporariamente, são indicados apenas para temperatura acima de 41°C.1 2

Métodos seguros de como baixar a febre

Agora que você já sabe o que não fazer, vamos explicar como baixar a febre com métodos seguros e indicados pela literatura médica. Essas são ações para garantir o bem-estar da pessoa com quadro febril. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que a decisão de seguir o tratamento medicamentoso deve ser avaliada com cautela e não pode ser feita de forma automática, como acontece muitas vezes. A aparência clínica geral é mais importante do que a análise isolada da temperatura corporal.1

É de consenso médico que a administração de antitérmicos em pacientes saudáveis e fora da faixa etária de risco só deve ser considerada em temperaturas acima de 38,2°C. Entre as ações não medicamentosas, vale destacar que não é recomendado usar agasalhos e cobertores. O paciente deve permanecer vestido, porém sem excessos, e repousar em um ambiente bem ventilado, mas fora da exposição direta ao sol. A hidratação também é essencial. Deve haver esforço para ingerir líquidos para evitar hipernatremia, que aumenta a febre.1 2

MAT-BR-2103688